Poeteiro

A poesia é uma luta injusta

De cinco elementos batendo em um

Repetidamente

Manuseando de um jeito tal

Que de tanto bater

o faz cuspir

prazeres

dizeres

pueris

desejos que deveras sente

 

É o momento em que o dedo

Desliza

Suavemente

As teclas próprias

Ou alheias

Estimula

Massageia

Fantasiando o que quer e não tem

O que tem e não possui

O que pode e não deve

 

Poesia são toques

Uivos

Gemidos

Suspiros

Onde…

Embora imagine um outro

Sou eu mesmo o principal objeto

De um desejo que simula ser desejado

Fingindo ser o outro para se ver

 

A poesia é sempre um “quase”

Que mesmo no clímax

Toca a alma

E os sentidos mais aguçados

Mais não conclui o que deseja de fato

E por vezes se contenta

Em imaginar o que podia ser

 

A poesia excita…

E se pegar de jeitinho

Faz até virar o zoinho

Manus-turbando a pureza fria de uma razão irracionalmente posta

Imposta

Composta

Hipócrita

 

A poesia é o pecado

Sagrado

Deixado

Pra aqueles que ousam fazer do corpo a morada de deus (e das deuzas)

 

É o culto dos ateus crentes dos últimos dias

O fogo que inflama

Enquanto alivia

Toda a tensão

Acumulada por desejos violentamente reprimidos

 

A poesia é

A poesia…

A po…

e…

é…

a

a- ah

ahhhhhhhhhhhhhhh!

POESIA

 

Por Deivison Nkosi – 2013

Dia de maldade

Era domingo
o filho mais velho fora visitar a vó
e o bebezinho dormindo…
o olhar denunciava:
“hoje é dia de maldade” 😈…
E o que se seguiu foi o ranger da cama
a mão naquilo e aquilo na mão
aquilo naquilo e a mão na mão
supiros, contrações, uivos..
E o bebe acorda!!

Paramos tudo…
O colacamos pra ninar
ele dorme
a dança recomeça… frenética, com pressa, com sede…
Enchentes de desejos sob o corpo rígido…
carícias
suor
umhé…
Ele acorda novamente…

será um complô? B
rincamos com ele, troco a frauda, ela da peito..
eu pronuncio músicas de ninar enquanto penso em Funk
Ele dorme novamente..

O ritual recomeça..
já tava tudo no gatilho..
numa hora dessas: preeliminar é o caralho (devorado por lábios salivantes)…
ajeita o corpo gostoso pra sentir tudo…
a cama faz barulho!
Ele acorda mais uma vez (sorrindo da nossa cara ou pra gente… ou os dois)
Desistimos sorrindo…
próxima semana, mês? quem sabe?
num da nem pra ficar bravo com aquela carinha de Erê