Dizê o Q?

Mas vo Dizê o que se já foi tudo dito?

Foi tudo visto, tudo listo, quisto…

E eu de tanto que querer ja tive

Hoje nem sei mais o que querer

 

querer sonhar as vezes é difícil

É Tanto olho que molhou no cisco

Que eu já nem disfarço as águas

Que borram a letra que tento escrever

 

Resta escrever o que já foi escrito

Verborrajar para animar o circo

Ou pare o “mundo que eu quero descer”

levando conquistas que quis e não tive

 

eu quiz o tudo e pelo visto o quisto

virou até meu compacto o disco

e eu de tanto que tive querer…

não soube aproveitar o que eu tive

 

Por Deivison Nkosi – 2010

PROFECIAS PÓS-CONTEMPORÂNEAS

OPRIMIDOS(AS)(x)(@)(..)(” “)(?) do mundo: FRAGMENTAI-VOS!!!
Até o ponto exato em que Tu, estranho à própria imagem refletida no espelho, não se veja mais Um,
apenas cacos fluidamente fragmentados pela contingência desconexa de uma lógica essencialmente anti-essencial:
Sem dor, conflitos e oposições…

REPUDIAI
a toda Identidade que lhe anula a Diferença,
até que você – Medida Transcendental de todas as coisas – não seja mais idêntico a nada… nem mesmo A Ti próprio,
restando só o AÍ no vazio.

AFASTAI-VOS
de todo o Outro que lhe ameaçar oferecer oposição, resistência ou existência que não seja idêntico a si…
de todo o Outro que lhe contraria ao habitar em ti para compor aquilo que és, ou estais sendo (ou projetas ser).

FRAGMENTAI-VOS
até o momento em que o Outro deixe de ser uma ameaça;
até que o Outro deixe de ser,
até que não haja mais ser
até que não haja mais o Outro

Neste momento, talvez, te sentirás pleno
diante do Absoluto Nada que restou.

Por Deivison Nkosi – 29/01/2015