Borrões

Kitembo (sem data) 

Mesquita Jesuíta (2017) 

Dia de Maldade (2017) 

Pós-verdade (2017)

Facetruque (2016) 

ESQUERDOPATA X DIREITOPATO (2016)

PROFECIAS PÓS-CONTEMPORÂNEAS (2015) 

Like-me (2013) 

Poeteiro (2013)

Violência auto infligida em 3 atos (2013) 

Apelo aos cidadãos de bem (2013)

Leila (2011)

Tantos “tantos” (2011) 

O Tempo (2012)

Dizê o Q? (2010)

Consciência humana (2007) 

Dissertação de Mestrado – A PERCEPÇÃO DO MOVIMENTO NEGRO DO ABC PAULISTA SOBRE A SAÚDE DA POPULAÇÃO NEGRA: AGENDAS, AÇÕES E PARCERIAS

Deivison Mendes Faustino

RESUMO

Esta dissertação discute as relações entre o movimento negro da Região do ABC Paulista e à saúde da população negra. A percepção do movimento negro sobre a saúde da população negra, as suas agendas prioritárias e o potencial de adesão das organizações deste movimento social às ações de saúde são analisadas sob a ótica de representantes do próprio movimento negro, entendido aqui como interlocutor privilegiado de diálogo entre as demandas de saúde da população negra e o setor saúde.

A hipótese de que o movimento negro do ABC Paulista tem pouco ou nenhum acesso a literatura produzida referente à saúde da população negra foi confirmada, bem como a hipótese de que algumas entidades já realizavam ações voltadas à saúde, e outras não o fazem por dispor de outros temas prioritários em suas agendas.

Ao relacionar a importância do movimento negro como importante sujeito de promoção á saúde da população negra, o autor discute algumas especificidades deste movimento social, concluindo que o mesmo, apesar de sua diversidade programática, apresenta grande potencial de adesão a ações de parcerias com o setor saúde. A diversidade programática observada nas diferentes organizações do movimento negro se expressa em potencialidades diversas e complementares de abordagem em relação temática saúde, a saber: a atuação sobe os determinantes sociais; a atuação comunitária de sensibilização e multiplicação de informação e as ações voltadas ao controle social das políticas públicas de saúde. A concretização de possíveis parcerias entre o movimento negro e o setor saúde fica condicionada a dois fatores relevantes: o reconhecimento e enfrentamento do racismo e do racismo institucional presente no setor saúde; oferta por parte do setor saúde de formação e qualificação das organizações do movimento para atuarem nas ações de saúde.

 

Texto completo [Aqui]