Kitembo

O Tempo é o deus, desculpe! As vezes penso

O tempo intenso, no silencio, denso,

O tempo tal em que ao mesmo tempo

Mata… e faz a vida germinar.

 

O Tempo é o deus que antes de convento

Antes de deus e outras que invento

Antes da luz, se pá até do vento

Já tava lá, antes da gente pensar

 

Mas sou sincero e falo o que eu penso!

Eu vim aqui utilizar seu tempo

Pra perguntar: o que se faz do tempo

Que o Tempo te deu nas mãos pra vc usar?

Vou repetir:

o que ce faz do tempo… que Tempo te deu nas mãos pra vc usar?

 

Ao mesmo tempo que eu falo de tempo

O tempo passa, lento e irreversível

E cada tempo que eu perco tempo

o meu futuro fica inatingível

 

é so o tempo

erros e acertos

quiçá um dia pra me ensinar

que á agonia, triste ironia!

É a escola pra eu me superar.

 

Tudo junto, assim, ao mesmo tempo

sem tempo nem mesmo pra pensar

cinco mil no facebook e ninguém pra abraçar

trabalhar pra  comprar tudo…

mas sem tempo usar

 

Ao mesmo tempo que o tempo passa

passa e não volta mais

Eu retorno lento ao meu inicio

e não sendo o mesmo mais

choro pra ser homem e luto pela paz

Eu ganho tempo me perdendo no tempo

avanço as vezes voltando para trás

 

Mas é isso aí!

pra não tomar mais tempo

cansando em letras o seu globo ocular

Só vou indagar “o que cê faz do tempo…

que o Tempo te deu nas mãos pra vc usar?”

 

 

Por Deivison Nkosi – Escrito em um tempo que já não se sabe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *