Biografia

Oriundo de um bairro chamado Sítio dos Vianas, em Santo André – SP, Deivison Mendes Faustino, também conhecido como Deivison Nkosi, envolveu-se ainda na adolescência com o movimento hip-hop e em seguida com o movimento negro.

Já atuou na área da saúde pública, através de projetos de prevenção de DST/Aids e promoção à saúde de populações em situação de vulnerabilidade, e na área da educação, através de ações de formação de professores e gestores para a Educação das Relações Étnico-Raciais.

Graduou-se em Ciências Sociais pelo Centro Universitário Santo André (2005) e obteve o título de mestre em Ciências da Saúde/ Epidemiologia pela Faculdade de Medicina do ABC (2010), onde estudou a participação do movimento negro nas ações de controle social das políticas de saúde.

Em seu doutorado, realizado no Programa de Pös-Graduação em Sociologia da UFSCAR (2015), foi bolsista PDSE junto ao Department of Philosophy da University of Connecticut, UConn (2015) e defendeu a Tese intitulada “Por que Fanon, por que agora?”:Frantz Fanon e os fanonismos no Brasil. A tese, aprovada com distinção pela banca, recebeu a Menção Honrosa do Prêmio Capes de Tese na área de Sociologia, da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CAPES.

É Professor Adjunto da Universidade Federal de São Paulo – Campus Baixada Santista onde também atua como pesquisador do Núcleo Reflexos de Palmares e do Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros – NEAB da UNIFESP. É integrante do grupo de pesquisa Laboratório Interdisciplinar Ciências Humanas, Sociais e Saúde, da UNIFESP e integrante do Instituto Amma Psique e Negritude e do Grupo Kilombagem.

Atualmente dedica-se à pesquisa, ensino e extensão voltados aos seguintes temas: racismo e racismo institucional, racismo e sofrimento psíquico saúde da população negra, educação das relações étnico-raciais e africanidades e produção intelectual de autores/as negros/as.

Informações profissionais estão disponíveis aqui:

Plataforma Lattes: http://lattes.cnpq.br/1381425552378145